sexta-feira, 11 de maio de 2012


06 de fevereiro, 7:30 da manhã: É completamente certo, e ao mesmo tempo errado. Eu me lembro absolutamente bem, da sua face marcada pelo sono. Te avistei andando em minha direção naquele imenso corredor. Aqueles olhares brilhantes, me fizeram esquecer do mundo, da minha existência. Fiquei completamente sem chão. Perdida, como se tudo aquilo fosse um grande labirinto sem saída. Meu coração palpitava, como se já tivesse visto milhares de vezes. E é verdade, que quase saiu pela boca, quando percebi que você passaria o ano todo ao meu lado. Você entrou no mesmo lugar que eu. Te dirigi um olhar de recém apaixonada, e notou também o meu sorriso olhando para você. Foi incrivel. Como eu poderia me apaixonar, por um garoto que eu nunca tinha visto em minha vida? Tento entender até hoje, o que eu senti naquele exato momento. Só tenho a absoluta certeza, que iria me apaixonar por você.
13 de fevereiro: Amor ou ilusão?  Fazia uma semana que te conhecia. Naquele mesmo lugar. Naquela mesma hora. Aquele fim de semana me enlouqueceu. Ainda me perguntava se estava me apaixonando. Se você, era o cara. Que me deixou tonta desde aquele dia. Fazia uma semana, que eu não deixava de pensar em voê, nem por um minuto. Todas as tardes e noites, passavam completamente devagar. Eu contava as horas para te ver novamente na outra manhã. Era amor, ou ilusão? Essa incerteza me machucava. Poderia estar apaixonada sem ao mesmo trocarmos uma minima palavra? A incerteza entrava em minha vida, e talvez também, o amor estava penetrando em mim.
01 de março: O amor me pegou: Eu me apaixonei por você. Por seu olhar, por suas palavras, mesmo não dirigidas para mim. Me apaixonei pela sua voz, pelo seu jeito de andar, pelo teu cheiro. Me apaixonei pela sua boca, por sua voz, por teu olhar. Era estranho. Era diferente. Complexo. Eu estava gostando daquilo. Trocavamos olhares, eu tinha uma certa esperança, que você também correspondia toda essa grandiosidade. As pessoas reparam. Elas olhavam para nós, como se fossemos um casal. Eu me iludia, é claro. Como qualquer pessoa apaixonada. E nesse tempo todo, sonhei milhares de vezes com você. Você ao meu lado, me abraçando, da maneira que eu sempre sonhei. Isso já não era mais novidade. Você estava dentro de mim.
07 de março: Palavras… Apenas: Nunca me esquecerei desse dia. Fazia exatamente um mês, e um dia que haviamos nos conhecido. E foi nesse dia, que trocamos as primeiras palavras. Você chamou pelo meu nome. Naquele exato momento, eu travei. Era simplesmente lindo a forma que você soava meu nome. O timbre da sua voz era lindo, literalmente. Era aconchegante. Eu só olhei, e meu mundo parou. Por completo. Apenas ouvia você dizendo o que queria. Não existia mais nada ao meu redor. Só você e eu. Nós dois.  Aqueles segundos, pareceram anos. E naquele dia, eu pensei na forma que você dirigiu palavras para mim. Eu repeti essa cena milhares de vezes na minha mente. Eu estava apaixonada, e como. Era certo. Era muito mais que óbvio.
10 de maio: O fim, ou apenas mais um obstáculo? Veja, passou-se muito tempo. Fazem mais de três meses que eu te conheci. Que meu mundo parou de girar. E que tudo era você. Tanta coisa aconteceu, desde aquele dia. Tantos sorrisos, palavras que me fizeram pensar por semanas. Nossas trocas de olhares, minhas esperanças. Eu gostaria de contar absolutamente tudo neste texto. Contar daquele dia que você disse que eu era linda. Daquele dia que você disse que se importava mais comigo, do que com aquela outra garota. Do dia em que me disseram, que seus olhos brilhavam ao falar comigo. E que estava apaixonado. Dos dias em que você não me olhava. Que ativava por completo sua indiferença. E hoje, agora, lágrimas escorrem pelo meu rosto, em perceber que nada aconteceu, e não vai acontecer entre a gente. Bom, quem sou eu para ver o futuro, não é mesmo? Talvez um dia, eu ainda possa saber o que você sente ou sentia por mim. Se um dia você chegou a gostar de mim. Eu acredito que não. Que você disse tudo aquilo, apenas para me iludir. Eu quero que saiba, que eu botei esperanças em nós. Eu tentei fazer você não desistir de mim. Que mesmo com meus erros, eu te amava. E ainda amo. Eu tento te esquecer, jogar pra fora, todas as lembranças, momentos, palavras que me disse. Mas não dá. O sentimento entrou em mim, e já não quer sair.Você me enfraquece, e me fortalece ao mesmo tempo. O amor é mais forte que a minha vontade de desistir. Isso machuca. Machuca quando você vem falar comigo, e me dirige novamente algumas palavras esperançosas. Mas caio na real. Que tudo não passou de ilusão. Que o seu sentimento, nunca existiu. Mas o meu está aqui, dentro de mim. Está intacto. Mas eu prometo pra você. Que não farei o que você fez comigo.Eu prometo. Que você sempre vai estar presente nos meus pensamentos. Que com todas as circunstâncias, desde aquele dia, eu estive presente. E vou estar. Quando precisar. Quando estiver um buraco dentro de você, eu estarei para completar. Eu vou estar aqui, quando lembrar daquele dia. E perceber que eu serei a única que nunca vai desistir de te ter. E que consequentemente, não vai encontrar alguém como você. Eu não te deixarei partir. Você nunca será meu passado. Apenas meu presente. E o futuro. Ele está esperando por nós dois. E passe o tempo que passar, sempre lembrarei do dia em que conheci o garoto que mudou a minha vida. E saiba que, sempre vai ser você. Apenas você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário